Representante da Casa Branca abre o maior congresso Internacional de drogas do mundo no Expo D. Pedro

  • 09/12/2016

 

O Diretor da Política Nacional de Controle de Drogas da Casa Branca, Michael Botticelli, abriu nesta quarta-feira, 7 de dezembro, o maior congresso internacional de drogas do mundo, o Freemind, que está sendo realizado no Expo D. Pedro.

Estão previstos mais de 3.000 participantes de 242 cidades brasileiras no congresso, cujo tema será “Drogas: por um mundo melhor, vamos tocar neste assunto”. Há 312 estrangeiros de 44 países cadastrados, sendo 32 palestrantes internacionais, com represententes da ONU (Organização das Nações Unidas), OMS (Organização Mundial da Saúde) e OEA (Organização dos Estados Americanos), além de 102 palestrantes brasileiros, como Dr. Augusto Cury, Dr. Anthony Wong, Dr. Ronaldo Laranjeira, Dr. João Lotufo, Padre Haroldo e o ex-jogador de Vôlei, Giba, que atua na prevenção a partir do esporte.

Botticelli lidera os esforços da administração Obama quanto às políticas de drogas, que são baseados em uma abordagem equilibrada de saúde e segurança pública. A administração implementou históricas reformas nas políticas de drogas e inovações em prevenção, justiça criminal, tratamento e recuperação. Botticelli  assumiu o cargo de Diretor de Política Nacional de Controle de Drogas na Casa Branca em 2015, mas trabalha no Escritório de Controle Nacional de Drogas da Casa Branca (ONDCP) desde 2012.   Em resposta à epidemia nacional de opiáceos, Botticelli coordenou ações do Governo Federal para reduzir o abuso de medicamentos prescritos, heroína e overdoses relacionadas. Isso inclui o apoio a esforços de prevenção feitos pelas comunidades; cursos e informações para o público e aqueles que prescrevem medicamentos;  expansão do uso de naloxona por autoridades e socorristas, e crescente acesso a tratamentos de medicação assistida e serviços de apoio à recuperação.

Brian Morales trabalha no Departamento de Estado há 12 anos com questões que vão desde o narcotráfico ao combate ao terrorismo.  Durante este período ele atuou como representante dos EUA em diversos fóruns multilaterais, incluindo Organização dos Estados Americanos,  Escritório das Nações Unidas contra Drogas e Crime, Plano Colombo, União Africana, G-8, Grupo do Pacto de Paris.  Morales também já trabalhou na Organização Pan-Americana de Saúde. Ele tem grande experiência nas áreas de prevenção e tratamento de uso de substâncias,  tendo desenvolvido programas de redução de demanda e implementando projetos com países parceiros na Ásia, África e América Latina durante oito anos.  Ele foi um dos responsáveis pela criação da Sociedade Internacional de Prevenção e Tratamento de Substâncias (ISSUP) em julho de 2015, que promove a profissionalização através da formação e credenciamento.

A Mobilização Freemind foi criada no Brasil em 2012 e hoje tornou-se uma referência no setor de drogadição, fazendo parte de uma rede mundial de organizações que reúne os maiores especialistas e instituições que atuam nesta área no país.  A participação do governo americano no Freemind é uma de muitas iniciativas e programas da Missão Diplomática dos EUA no Brasil, neste ano, que procuram promover o diálogo e o entendimento mútuo entre brasileiros e americanos, além de apoiar os esforços da sociedade civil brasileira.